quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

O fim de um ciclo




Esta segunda-feira encerrou-se um ciclo.

Terminaram três anos intensos. Três anos de luta pela verdade e pelo combate à corrupção. Três anos de insinuações maliciosas contra o meu bom-nome e do meu irmão, e que se provou em Tribunal que não tinham qualquer fundamento. Três anos que culminam com a condenação de um corruptor, uma das primeiras em Portugal!

No que diz respeito à sentença, a condenação do crime da prática de corrupção activa, foi exemplar. Ficou provado que Domingos Névoa me tentou corromper, tal como ficou provado que o pagamento de 200 mil euros era para que mudasse a minha opinião, as minhas convicções e liberdade. Ficou provado como se faz corrupção em Portugal e que este é um crime desprezível que assola as sociedades modernas.

Não ficou provada nenhuma das insinuações graves e fantasiosas contadas por Domingos Névoa.

Infelizmente, a pena aplicada deixa algo a desejar. É escassa e sinal disso é a indignação registada um pouco por todo o lado. Julgo que a justiça podia sair melhor deste caso. Era uma boa oportunidade para se reconciliar com a opinião pública, para mostrar a todos que funciona e que é implacável e não compactua com casos de corrupção. Foi pena a pena.

Ainda assim sublinho que há que valorizar a condenação. Há que valorizar o encerramento do ciclo e a justiça que levou este caso até ao fim e que condenou um corruptor. E nesse sentido, esta condenação é fundamental para mais pessoas se sentirem confortáveis em cumprir com o seu dever de cidadania e denunciarem sempre que se sejam alvo de tratamento semelhante.

Sei que não é fácil denunciar este tipo de casos, até é difícil suportar as insinuações e calúnias que procuraram desviar as atenções do acto corruptor, mas é imprescindível, a bem da democracia, nunca desistir.

Foi o que eu e, principalmente, o meu irmão, Ricardo Sá Fernandes, fizemos. Nunca desistimos e nunca desistiremos.
Ilustração retirada do site de Cristina Sampaio

1 comentário:

Duarte Alves disse...

Esta sentença foi uma vergonha. Compreendo que não possa partir a louça toda e que queira valorizar o facto de ele ter sido considerado culpado, mas isto foi uma vergonha.

Já agora: Será que o Domingos Névoa só o contactou a si com a simpatica oferta ou contactou também outros vereadores da oposição da altura? Não acha estranho?