quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

Baixa mais amigável



Ontem foi dado o “pontapé de saída” da discussão pública do novo Plano de Mobilidade para a Baixa.

O Executivo está a tomar medidas corajosas de limitação à circulação de automóveis particulares no coração da cidade.

Também começaram a aparecer os primeiros ataques: Do PSD, do Automóvel Clube de Portugal, enfim, de todos aqueles demasiado acomodados ao automóvel particular para imaginarem uma visita à Baixa sem ele.

Trata-se no entanto de uma urgência: Os níveis de poluição atmosférica e sonora provocados pelo tráfego de atravessamento na Baixa e em toda a zona do Rossio, Restauradores e Av. da Liberdade é incomportável e impede objectivamente que esta zona seja revitalizada como todos desejam.

1 comentário:

B Aranda disse...

Também a Revista SÁBADO de hoje mete o Presidente da Câmara "a descer" por causa do Plano de Mobilidade.

Segundo a SÁBADO, já existem "filas gigantes aos Domingos nos acessoas ao Terreiro do Paço".

É um mito urbano - como diria o Bruno Aleixo - que é falso.

Realmente houve muitas filas nos primeiros 2 meses da iniciativa. Hoje em dia, os lisboetas já se acostumaram que aos Domingos, vir para a baixa é de metro, autocarro e eléctrico.

Há carros a mais em Lisboa. Quem não percebe isso, não conhece Lisboa (e fantasia com filas que já não existem há meses)